quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Pecado Mortal e Venial - Planejamento do Encontro

Acolhida: Acolher os catequizandos com alegria e fazer uma oração inicial.
Motivação (ver):
-  Levar revistas e jornais e pedir para as crianças recortarem gravuras que falem sobre guerra, fome, crianças abandonadas, desemprego, drogas, violência e etc. E pedir para que colem em cartazes.
- Pedir que observem os cartazes e comentem sobre o que viram.
Colocação do Tema (julgar):
Leitura Bíblica: Is 43,1; Jr 31,3; 1Jo 4,8, Is 49,15
- O pecado é uma transgressão voluntária da Lei divina, ou seja, é um “não” que decidimos dar ao amor de Deus.
- No Gênesis, há uma narração do pecado original (cf. Gn 2-3). O homem vivia feliz no Paraíso em íntima união com Deus. O demônio seduziu e enganou os nossos primeiros pais, que aceitaram a tentação. O Primeiro pecado do homem foi o pecado de soberba. O homem queria ser Deus, queria ser o árbitro do bem e do mal (Gn 3, 1-6). À culpa dos primeiros pais chamamos pecado original, isto é, o pecado que deu origem a todos os outros.
Com o pecado, o homem perde alguns dons, isto é, ele sai do estado inicial em que estava quando foi criado. Deus havia feito um programa para o homem. O homem é filho de Deus, sendo assim, deve viver o programa dado por Deus. Quando o diabo propõe ao homem um novo programa de vida, onde ele, o homem, seria o próprio árbitro do bem e do mal, este, pela soberba, opta por tal programa.
Quando o homem diz “não” a Deus, ele “cai” e perde os dons preternaturais:
- Imortalidade: naturalmente morreríamos, mas não seria uma morte brusca como é (Gn 2,7; Sb 2, 14; Rm 5,12).
- Impassibilidade: ausência de sofrimento, que é decorrente do pecado (Gn 3, 16)
- Ciência moral infusa: é a capacidade de fazer o que é da vontade de Deus.
- Integridade: o homem não era dividido pelas paixões.
Por causa do pecado dos nossos primeiros pais todos nós nascemos com a “marca” do pecado original. É uma espécie de herança negativa.
Sabemos que o pecado é uma atitude contrária à vontade de Deus. Conforme Mt 7,3 distingue-se dois tipos de pecado: o pecado venial e o pecado mortal.
- Pecado venial: é um pecado leve, uma ofensa sem maiores consequências.  Eles são perdoados quando deles nos arrependemos. Os pecados veniais, mesmo sendo pecados leves, devem ser evitados, porque é da prática dos veniais que caímos nos mortais ( 1 Cor 3,16; Eclo 19,1; Tg 3,5). Quem vem a falecer com os pecados veniais, purifica-se no purgatório (Mt 5, 25-26).
- Pecado mortal: é uma ofensa grave, rompe o estado de graça com Deus. Os pecados mortais exigem a reconciliação pelo Sacramento da Penitência e, é claro, exige o arrependimento. Quem morre em pecado mortal, não alcança o céu, pois estava fechado à graça ( 1 Cor 16,22).
O único pecado que não tem o perdão de Deus é o pecado contra o Espírito Santo, isto é, é estar fechado à graça de Deus.

Mesmo sendo um arrependimento sincero devemos confessar nossas faltas porque a confissão aumenta em nós a graça, e mais, é Cristo que quer assim e mandou que se fizesse deste modo (cf. Mt 18, 18; Jo 20, 21-23). Na celebração da Santa Missa alcançamos o perdão dos pecados veniais no ato penitencial, mas dos mortais só no Sacramento da Reconciliação.
Podemos pecar de quatro modos: por pensamentos, palavras, atos e omissões.
Para haver pecado mortal é preciso que haja:
a)      Matéria grave
b)      Conhecimento pleno do mal
c)       Consentimento da vontade
Para viver a graça é preciso: praticar os mandamento, ou agir segundo a consciência, caso alguém não conheça os mandamentos.
São Paulo nos adverte que o prêmio do pecado é morte (Rm 6,23).
Deus nos dará os meios para vencermos o pecado (Rm 5,20). Orando, lendo a Sagrada Escritura, mortificando-nos, comungando, fazendo boas obras, fugindo das ocasiões de pecado, confessando-nos; com certeza, cresceremos no amor de Deus.
Lembrem-se: O pecado é um ato pessoal. Alem disso, temos responsabilidade nos pecados cometidos por outros, quando neles cooperamos:
1.       Participando deles direta e voluntariamente;
2.       Mandando, aconselhando, louvando ou aprovando esses pecados;
3.       Não os revelando ou não os impedindo, quando a isso somos obrigados;
4.       Protegendo os que fazem o mal; (CIC 1868)
Assim o pecado tornar os homens cúmplices uns dos outros, faz reinar entre eles a concupicência, a violência e a injustiça. (CIC 1869).
Ação (agir transformador):
- Mostrar objetos criados por Deus e pelos homens. Todos podem ser usados para o bem? Todos podem ser usados para o mal? Que escolhas devemos fazer? Por quê? Deus criou alguma coisa má ou nós que utilizamos as coisas ou as nossas decisões para o mal?

Atividade: folhinha
Oração Final: PAI – NOSSO – frizar a parte “ perdoai as nossas ofensas...”

Fontes:
Correndo ao Encontro de Jesus – Preparação para a 1ª Eucaristia. Arquidiocese de Niterói: Comissão Arquidiocesana de Iniciação Eucarística.
Catecismo da Igreja Católica, páginas 494 a 500.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Sacramentos: sinais sensíveis de Deus - Planejamento do Encontro

Acolhida: Acolher os catequizandos, cumprimentando-os com abraços, apertos de mão e procurando fazer com que todos façam o mesmo.

Motivação (ver):

 - Perguntar aos catequizandos se perceberam que hoje nós nos cumprimentamos com mais alegria, através de gestos, sinais, como abraços e aperto de mão.

Pistas para conversar com os catequizandos:

- Vocês perceberam que hoje vocês abraçaram ou apertaram as mãos de modo diferente dos outros dias?
- Muitas vezes apertamos as mãos do outro de leve ou apertamos fortemente ou, às vezes, nem pegamos na mão do outro. Por quê?
- Isto é um sinal que demonstra alegria ou tristeza, amizade ou indeferença para com o outro, no aperto de mão.
- Temos ainda outros sinais. Temos, no Brasil, os símbolos da pátria: a bandeira, o brasão... Os sinais de trânsito, em que cada cor simboliza uma ação: vermelho = pare , amarelo=atenção, verde=siga!
- Vocês conhecem o sinal do cristão? O sinal do Cristão é o sinal da Cruz.
- Quando vemos uma pessoa fazendo o sinal da Cruz sabemos que ela é cristã.

Colocação do Tema (Julgar):

- Assim como na nossa vida diária há muitos sinais, Jesus também nos deixou vários sinais que mostram o grande amor que Ele tem por nós. Jesus nos acompanha desde o nosso nascimento até a nossa volta para Ele (na morte).

- Quando nascemos somos levados à Igreja onde recebemos o Sacramento do Batismo que nos faz cristãos, filhos de Deus. Recebemos uma nova vida e começamos a participar da Igreja.
- O Batismo é como uma semente que se planta, mas que, ao longo dos tempo, deve ser cultivada para que cresça e produza. Caso contrário, de nada adianta. Assim também a semente do Batismo: se não for cultivada no dia-a-dia na oração, na fé, na participação, na vivência em Deus, será uma semente chocha, não germinada.
Ler e comentar: Mt 28,19



- Quando crescemos, vamos à catequese e aprendemos muitas coisas sobre Deus. Apesar de conhecermos o que não devemos fazer, muitas vezes dizemos não a Deus. Quando arrependidos, Jesus nos dá outro sinal: a sua misericórdia. Este é o Sacramento da Confissão ou Penitência.
 Ler e comentar: Jo 20,23



- Na nossa caminhada precisamos de força e, por isso, nós comemos para ficarmos mais fortes. Jesus no deu a Eucaristia que é o nosso alimento. Este é o Sacramento da Comunhão.
 Ler e Comentar: Jo 6,56.





Quando jovens, renovamos nosso compromisso com Jesus. Dizemos a Ele que desejamos seguí-Lo de perto, que queremos anunciá-lo em todos os lugares. Este é o Sacramento da Confirmação ou Crisma.
 Ler e Comentar: At 8,17




- Os adultos, escolhem a sua vocação. Umas pessoas são chamadas e desejam formar uma família. Então recebem o Sacramento do Matrimônio.
Ler e Comentar: Mc 10,9







- Outras pessoas são chamadas e desejam dedicar-se inteiramente à missão de Jesus, seguindo a mesma vida de Jesus no sacerdócio. Então, recebem o Sacramento da Ordem.
Ler e Comentar: Lc 22,19






- Quando as pessoas ficam muito doentes, Jesus dá outro sinal do seu amor, participando de sua tristeza. Elas recebem, então, o Sacramento da Unção dos Enfermos.
Ler e Comentar: Tg 5,14-15







Este 7 sinais são chamados SACRAMENTOS.
Eles mostram a presença de Jesus em nós.

Ação (agir transformador):

- Praticar gestos de amizade, em casa, na escola, no trabalho, na catequese etc.
- Participar de alguns sacramentos na Paróquia: Casamento, Batismo e Crisma...
- Procurar saber se na rua onde mora há alguma pessoa doente e se gostaria de receber a Unção dos Enfermos.

Atividades: Jogo da Memória ou Dominó dos 7 sacramentos, que estão nos links abaixo:



 Celebração: Fazer uma celebração agradecendo a Deus pelos Sacramentos que ele deixou. Rezar o Pai Nosso com gestos: alguns com as mãos dadas, outros com a mão erguida, dando também o significado de cada símbolo.


sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Dominó dos 7 Sacramentos

Olá amigos!!!

      Agora estou postando um dominó dos 7 sacramentos... Ele foi confeccionado com a mesma lógica de um dominó normal  e já foi testado pelos catequizandos!

Um forte abraço,
Layse






quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Jogo da Memória dos Sacramentos - Versão 2

   Boa Noite Pessoal!

          Estou postando uma outra versão de jogo da memória sobre os sacramentos. Espero que vocês gostem deste também.

 Um beijo,
 Layse



quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Jogo da Memória dos Sacramentos

Boa Tarde amigos!

      Estou compartilhando com vocês um jogo da memória dos Sacramentos.Gosto muito de trabalhar o lúdico na catequese, por isso acredito que toda brincadeira é bem-vinda, pois ajuda na fixação dos assuntos trabalhados. Bom jogo a todos vocês!!

Beijos,
Layse




terça-feira, 20 de setembro de 2011

Sacramentos de Serviço e Cura - Texto e Tarefa

Boa Noite Amados!

      Compartilho com vocês os textos motivacionais para o encontro sobre Sacramentos de Cura e de Serviço e uma atividade em comum para os dois textos. Nos próximos posts vou enviar o planejamento e um aprofundamento sobre o tema "Sacramentos" de acordo com o CIC - Catecismo da Igreja Católica.
   
   Beijos,
   Layse









segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Sacramentos de Iniciação - Texto e Tarefa

Olá Povo de Deus,

      Seguem um texto motivacional sobre os Sacramentos de Iniciação: Batismo, Crisma e Eucaristia. E também uma atividade para ajudar na fixação do conteúdo. Espero que gostem e possam ajudá-los!

Um abraço forte,
Layse



NÃO PERCAM! Curso de Formação na Web - Catequistas em Form@ção


Boa Noite Pessoal,

      Quero divulgar para vocês, mais uma iniciativa maravilhosa da Cláudia de Jesus, do blog Catequese na net. Ela está iniciando um Projeto de Curso de Formação na WEB, vamos participar? Terá dois módulos de aprendizagem:
       Módulo I - A Catequese e o Concílio Vaticano II
       Módulo II - A Catequese e a Conferência de Medellin

     Clique no banner e veja como se inscrever e como participar!




domingo, 18 de setembro de 2011

Como NÃO usar a Bíblia na Catequese

     É comum recorrer à Bíblia na catequese para encontrar os apreciados "exemplos catequéticos", como instrumento moralizante, ou só para defender a doutrina.
     A Bíblia não deve ser utilitarista, isto é, usada só para a transmissão em aulas, em palestras, manipulando os textos, como respostas mágicas. Não usar apenas citações de um texto ou referências bíblicas.
     Para alguns grupos a Palavra de Deus é colocada como consolo e terapia pessoal, dentro de um misticismo vazio, sem compromisso. São feitas leituras isoladas, frases ou textos fora do contexto, só para tirar mensagens estilo "horóscopo", ou para tirar mensagens bonitas.
     A leitura da Bíblia não deve ser leitura de "doutor", leitura intelectualizada.

Fonte: Livro do Catequista - Fé, Vida, Comunidade. Ir. Mary Donzellini. Ed. Paulus.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Bíblia - Planejamento do Encontro


Acolhida: Acolher os catequizandos e montar com eles um local especial sobre a Bíblia. 
Sugestão:http://catequesedeeucaristia.blogspot.com/search/label/B%C3%ADblia - esta ideia da Cris Menezes é bem interessante.

Motivação (ver): 

- Perguntá-los se quando queremos aprender ou descobrir alguma coisa ou conteúdo, onde procuramos (sem ser na internet)?
- Na escola, qual material é essencial para a nossa aprendizagem?
- Quando queremos pesquisar um assunto e não temos internet e nem livros, aonde vamos? Resposta: Biblioteca

Colocação do tema (julgar):

- Falar que a Bíblia é também um livro, mas um livro sagrado. E é também o livro mais conhecido do mundo, que já está traduzido para todos os idiomas oficiais e dialetos e línguas faladas pelo mundo inteiro.
- A palavra Bíblia vem do grego e significa coleção de livros (Biblioteca). Nela encontramos 73 livros, inspirados por Deus e escritos em diversas épocas.
- Os catequistas precisam estudar e passar aos catequizandos as respostas da seguintes perguntas:

  * O que é a Bíblia?
  * Quantos livros tem a Bíblia? 
  * Em quais partes a Bíblia é dividida? Antigo e Novo Testamento e a divisão específica: Pentateuco, Livros Históricos, Livros Sapienciais, Outros Livros Históricos, Livros Proféticos, Evangelhos, Atos dos apóstolos, Cartas de São Paulo, Outras Cartas e Apocalipse.
  * Quando foi escrita a Bíblia?
  * Onde foi escrita a Bíblia?
  * Quem escreveu a Bíblia?
  * Em que língua foi escrita a Bíblia?
  * Para quê a Bíblia foi escrita?

- Ensinar aos catequizandos como ler uma citação bíblica e quais as diferenças entre as bíblias católicas e protestantes.

Ação (agir transformador):

- Fazer a dinâmica do pirulito, blog Jardim da Fé, da Cris Janeiro:


Atividades: folhinha 

Oração final: Livre



segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Alguns passos para a leitura comprometida da Bíblia

   
   1 - Ler muito, muito, muito a Bíblia. Mastigar cada versículo. Atravessar o texto. A leitura da Bíblia, quando feita com fidelidade, vai abrindo aos poucos os nossos olhos sobre a realidade e nos levará a uma opção pelos pobre e a um compromisso mais firme com a causa.

   2 - Através dessa experiência, deixar-se conduzir pelo Espírito, procurando aprofundar cada vez mais, o conhecimento da realidade em que vivemos, refletindo o texto em comunidade.
        Para entender a Palavra de Deus é necessário criar uma abertura ao amor desse Deus que quer se comunicar com o seu povo;
        A leitura é feita não só para conhecer melhor o sentido da Bíblia, mas principalmente, para colocá-la em prática.

   3 - Procurar descobrir no texto:
 
     - O que o autor da história quer nos dizer;
     - Qual é a mensagem principal do texto;
     - Quais os personagens e os lugares que aparecem no texto;
     - Qual a situação econômica-social-política-religiosa e ideológica que o texto nos revela.

   4 - Ter visão de conjunto da Bíblia. Conhecer as grandes etapas da História do Povo de Israel. Ter algumas noções sobre a situação do povo daquele tempo.
 
   5 - Evitar a leitura fundamentalista da Bíblia, isto quer dizer, não ler o texto "ao pé da letra".

   6 - Estudar o surgimento e a formação dos livros do Antigo e Novo Testamento.

Fonte: Livro do Catequista - Fé,vida, comunidade. Ir. Mary Dozellini. Ed. Paulus

domingo, 11 de setembro de 2011

Olha só o que eu ganhei!!!! Obrigada Cláudinha!



     Gentiiii... olha que mimo mais especial que eu ganhei da Cláudia do blog Catequese na net. Vocês nem imaginam a felicidade que eu fiquei quando recebi o envelope!!!!!!! Ganhei um DVD da Canção Nova para crianças, uma cartela de adesivos de Jesus, uma mensagem super carinhosa e um chaveiro de pimenta (artesanato da Cláudia) que eu vou colocar no meu carro.
     Cláudinha, muito obrigada pelo seu carinho, amor e tanta dedicação. Eu gosto muito de você e todos os dias rezo a Deus por ti, para te iluminar, guardar e te dar muito ânimo, força e alegria para continuar na caminhada da evangelização...
     Sinta-se abraçada por mim e por toda a minha família!

     Pessoal!!!!!!!!! Não deixem de visitar este excelente blog CATEQUESE NA NET!

     Beijos mil!!!!!!!!!

     Layse

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Para quê a Bíblia foi escrita?

       A Bíblia foi escrita para manter o povo na caminhada. Três coisas animam o povo a caminhar:
     
      a) Contar o passado; 
      b) Anunciar o futuro;
      c) Mostrar o presente;

   a) Contar o passado

      Nós não nos esquecemos do passado da nossa vida. Ficamos corajosos quando sentimos que fomos ajudados a vencer na vida. Assim também o povo de Deus (o povo da Bíblia), olhando as coisas que Deus tinha feito para ele no passado, se animava a caminhar para frente.

Os livros que falam do passado do povo de Israel chamam-se:

Pentateuco: (Lei ou Torá). São assim chamados os cinco primeiros livros da Bíblia: Gênesis (Origem da vida e da história do povo no Egito), Êxodo (saída do Egito), Levítico ( formação de um povo santo e instruções para o culto), Números (a caminho da Terra Prometida) e Deuteronômio (segunda lei - projeto de uma nova sociedade).

Livros Históricos: Josué, Juízes, Rute, Samuel 1 e 2, Reis 1 e 2, Crônicas 1 e 2, Esdras, Neemias, Tobias, Judite, Ester, Macabeus 1 e 2. São 16 os livros históricos.

b) Anunciar o futuro

      Ficamos animados quando olhamos para as possibilidades que temos no futuro. Nascem em nós a esperança, a força e a coragem.
      Assim o Povo de Deus (o povo da Bíblia) se animava a caminhar para frente, quando eram colocadas, pelos profetas, as promessas feitas por Deus para o futuro.
      Os livros que falam do futuro do povo de Israel se chamam Livros Proféticos: Isaías, Jeremias, Lamentações, Baruc, Ezequiel, Daniel, Oséias, Joel, Amós, Abdias,  Jonas, Miquéias, Naum, Habacuc, Sofonias, Ageu, Zacarias, Malaquias. São 18, os Livros Proféticos.

c) Mostrar o presente

        Ficamos felizes quando sentimos que Deus caminha conosco, na nossa vida presente e com nossos problemas.
       Assim aconteceu com a Bíblia quando começou a caminhar com Deus. Olhava não só o passado, nem só o futuro, mas também o presente, buscando soluções para seus problemas.
     Tudo isto está escrito nos Livros Sapienciais: Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cântico dos Cânticos, Sabedoria, Eclesiástico. São 7, os Livros Sapienciais.
     
     " Com efeito, tudo o que foi escrito, anteriormente, foi escrito, anteriormente, foi escrito para nossa instrução, a fim de que, pela constância e consolação que provêm das Escrituras, possuamos a esperança". (Rm 15,4)

      Cristo é a luz que ilumina o passado, o presente, e o futuro. Fazendo referência a Ele, podemos entender a mensagem da Bíblia hoje. 

Fonte: Livro do Catequista - Fé, Vida, Comunidade - Ir. Mary Donzellini - Ed. Paulus


quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Em que língua a Bíblia foi escrita?

       A Bíblia foi escrita em 3 línguas diferentes: hebraico, aramaico e grego. O hebraico foi sempre a língua sagrada. Todo menino de israelita devia estudá-la.
       A língua familiar dos hebreus era o aramaico, a língua que falava Abraão. Esta língua foi falada por eles até à entrada na Terra de Canaã. Em Canaã o povo teve que aprender o hebraico.
      Quando a Palestina foi invadida pelos gregos, pelo ano 333 a.C., o povo foi obrigado a falar língua grega.
      
    Traduções 
     
      A Bíblia foi traduzida para ser compreendida. Como o hebraico era muito difícil e não era língua falada pelo povo, surgiram as traduções gregas. A mais famosa tradução foi a dos "Setenta" feita por 70 sábios, pelo ano de 250 a.C. em Alexandria.
      Quando foi feita, foram acrescentados 7 livros que não constavam na Bíblia hebraica. Por isso, há uma diferença entre a Bíblia dos católicos e a Bíblia dos protestantes. O protestantes ficaram com a Bíblia hebraica, com 7 livros a menos: Tobias, Judite, Baruc, Eclesiástico, Sabedoria, 1 e 2 Macabeus, parte do livro de Daniel e Ester.
      Os católicos seguiram o exemplo dos apóstolos, ficando com a tradução grega dos Setenta. 
      No século 3 d.C., a Bíblia foi traduzida para o Latim, por São Jerônimo. Essa tradução se chama "Vulgata" ou popular.
      Hoje a Bíblia está traduzida nas principais línguas de todos os povos e as traduções populares crescem dia-a-dia.

Fonte: Livro do Catequista - Fé, Vida, Comunidade. Ir. Mary Donzellini. Ed. Paulus



quarta-feira, 7 de setembro de 2011

# Movimento Comente Mais!

Olá Pessoal!!

    O nosso amigo Jonathan, do blog Jonathan Cruz está lançando uma campanha bem interessante... Ele nos lembra o quanto é importante fazer comentários nos blogs que visitamos. Como é bom abrir a nossa página e ver que alguém não só passou, mas, nos deixou um "Oi", deixou uma palavra amiga, e deixou uma crítica ou elogio! Eu gosto bastaannte e você?
    O Jonathan também gosta muito de receber um recado, por isso ele lançou essa campanha para não esquecermos de deixar um recado nos blogs que visitamos. Ele nos lembra também de uma das regrinhas de participação do grupo de CATEQUISTAS UNIDOS, que é de sempre visitar os blogs do grupo e deixar um OI naqueles que passarmos...
   Quero dedicar o selinho abaixo para 10 blogs amigos. Para que continuem a campanha e não deixem esse corrente acabar!


  1 -  Aprendendo a ser Catequista 
  2 -  Blog da Pré-Catequese
  3 - Catequista Decca
  4 - Eis-me aqui Senhor
  5 - Amando a Catequese
  6 - Primeira Eucaristia - Crescer em comunhão
  7 - Alfa & Ômega
  8 - Blog do Catequista Roberto
  9 -  Catequese Casa Forte
 10 - Catequista Angélica

Leve esta campanha à diante!


terça-feira, 6 de setembro de 2011

Quem escreveu a Bíblia?

       
       Não foi uma única pessoa que escreveu a Bíblia. Foram diversos autores. 
    Deus se serviu de diversos tipos de pessoas para escrever a Bíblia: homens e mulheres, jovens e adultos, mães de família, reis, doutores e pastores, operários de várias profissões. Gente instruída, que sabia ler e escrever e gente simples que só sabia contar histórias. Gente viajada e gente que nunca saiu de casa; sacerdotes e profetas. Gente de todas as classes, todos os convertidos e unidos na mesma preocupação de construir um povo irmão, onde reinasse a fé, a justiça, a fraternidade, a fidelidade a Deus e onde não houvesse opressor e nem oprimido.
    Eles escreveram por inspiração de Deus. Isto não quer dizer que Deus foi ditando, lá do céu e eles foram escrevendo...
    
    "Para escrever livros sagrados, Deus escolheu e serviu-se de homens, na posse das suas faculdades e capacidades, para que, agindo Ele neles e através deles, escrevessem, como verdadeiros autores, tudo aquilo e só aquilo que Ele próprio quisesse" (DV11) - (CIC 106).
   
    Eles escreveram os acontecimentos do Povo de Deus. Mas nem todos os acontecimentos foram escritos; apenas foram escritos os fatos mais importantes da grande História do Povo de Deus.
    O modo de falar da Bíblia é o mesmo modo de falar da época em que cada livro foi escrito. Isto é importante conhecer e considerar, para que não fiquemos presos aos símbolos e aos sinais que são usados na Bíblia.
   
   "Para descobrir a intenção dos autores sagrados, é preciso ter em conta as condições do seu tempo e da sua cultura, os gêneros literários em uso na época, os modos de sentir e narrar, correntes naquela época. Porque a verdade é proposta e expressa de modos diversos, quando se trata de gênero históricos, proféticos, poéticos ou outros" (DV 12,2) - (CIC 110)
    
    Às vezes, não é fácil compreender o que está escrito porque a linguagem é diferente da nossa. Muitas vezes não entendemos palavras usadas pelos nossos avós 50 anos atrás. Então, o que dizer das palavras que foram escritas há mais de 2000 anos?
    A fé do antigo povo e dos cristãos reconhece que a Bíblia foi escrita por homens que sentiram a inspiração de Deus e colocaram a seu serviço a inteligência e o conhecimento que tinham da vida e da história do povo, a sensibilidade humana, sua fantasia e reflexão. Eram homens que receberam a inspiração de Deus. "Toda Escritura é divinamente inspirada" (2Tm 3, 16-17).
    Por essa razão pode-se dizer que a Bíblia é obra de Deus, é o livro de Deus, mas também Livro da Fé e da Vida de um povo.
    A Bíblia é a Palavra de Deus na forma humana (1Ts 2, 13). Para os cristãos, a Bíblia é o livro mais importante dentre os milhões de livros já escritos até hoje.


Fonte: Livro do Catequista - Fé, Vida, Comunidade. Ir. Mary Donzellini. Diocese de Osasco.



Onde foi escrita a Bíblia?

     A Bíblia foi escrita em lugares diferentes. 
   A maior parte dela foi escrita na Palestina, onde o Povo vivia, por onde Jesus andou e onde nasceu a Igreja. Algumas partes do Antigo Testamento foram escritas na Babilônia, onde o povo viveu no cativeiro, 600 anos a.C. Outras partes foram escritas no Egito para onde o povo emigrou depois do cativeiro.
   O Novo Testamento foi escrito na Síria, na Ásia Menor, na Grécia e na Itália, onde havia muitas comunidades, fundadas pelo Apóstolo Paulo.
          Nesses povos havia a diferença de costumes, de cultura, de religião, de situação econômica, social e política. Tudo isto deixou marcas na Bíblia e teve influência na maneira da Bíblia nos apresentar a palavra de Deus.