quinta-feira, 30 de junho de 2011

Dominó dos dias da Criação

Olá Pessoal!

     Elaborei este dominó como material de apoio para o encontro sobre a Criação de Deus ou para ser utilizado em revisões, feiras bíblicas, etc. O dominó foi feito de acordo com a lógica do jogo original. Testei em casa e deu certo! É só colar em um papel durinho e botar a criançada para pintar! Espero que gostem!

Ah, a foto não ficou tão legal pq tive que tirar do celular e a mesa é a do meu trabalho!heheheh

Um forte abraço,
Layse









quarta-feira, 29 de junho de 2011

Parada Gay - respeitar e ser respeitado

      Eu não queria escrever sobre esse assunto; mas diante das provocações e ofensas ostensivas à comunidade católica e cristã, durante a Parada Gay deste último domingo, não posso deixar de me manifestar em defesa das pessoas que tiveram seus sentimentos e convicções religiosas, seus símbolos e convicções de fé ultrajados.
     
       Ficamos entristecidos quando vemos usados com deboche imagens de santos, deliberadamente associados a práticas que a moral cristã desaprova e que os próprios santos desaprovariam também. Histórias romanceadas ou fantasias criadas para fazer filmes sobre santos e personalidades que honraram a fé cristã não podem servir de base para associá-los a práticas alheias ao seu testemunho de vida. São Sebastião foi um mártir dos inícios do Cristianismo; a tela produzida por um artista cerca de 15 séculos após a vida do santo, não pode ser usada para passar uma suposta identidade homossexual do corajoso mártir. Por que não falar, antes, que ele preferiu heroicamente sofrer as torturas e a morte a ultrajar o bom nome e a dignidade de cristão e filho de Deus?!
      
         “Nem santo salva do vírus da AIDS”. Pois é verdade. O que pode salvar mesmo é uma vida sexual regrada e digna. É o que a Igreja defende e convida todos a fazer. O uso desrespeitoso da imagem dos santos populares é uma ofensa aos próprios santos, que viveram dignamente; e ofende também os sentimentos religiosos do povo. Ninguém gosta de ver vilipendiados os símbolos e imagens de sua fé e seus sentimentos e convicções religiosas. Da mesma forma, também é lamentável o uso desrespeitoso da Sagrada Escritura e das palavras de Jesus – “amai-vos uns aos outros” – como se ele justificasse, aprovasse e incentivasse qualquer forma de “amor”; o “mandamento novo” foi instrumentalizado para justificar práticas contrárias ao ensinamento do próprio Jesus.
        
          A Igreja católica refuta a acusação de “homofóbica”. Investiguem-se os fatos de violência contra homossexuais, para ver se estão relacionados com grupos religiosos católicos. A Igreja Católica desaprova a violência contra quem quer que seja; não apoia, não incentiva e não justifica a violência contra homossexuais. E na história da luta contra o vírus HIV, a Igreja foi pioneira no acolhimento e tratamento de soro-positivos, sem questionar suas opções sexuais; muitos deles são homossexuais e todos são acolhidos com profundo respeito. Grande parte das estruturas de tratamento de aidéticos está ligada à Igreja. Mas ela ensina e defende que a melhor forma de prevenção contra as doenças sexualmente transmissíveis é uma vida sexual regrada e digna.
        
          Quem apela para a Constituição Nacional para afirmar e defender seus direitos, não deve esquecer que a mesma Constituição garante o respeito aos direitos dos outros, aos seus símbolos e organizações religiosas. Quem luta por reconhecimento e respeito, deve aprender a respeitar. Como cristãos, respeitamos a livre manifestação de quem pensa diversamente de nós. Mas o respeito às nossas convicções de fé e moral, às organizações religiosas, símbolos e textos sagrados, é a contrapartida que se requer.
 
         A Igreja Católica tem suas convicções e fala delas abertamente, usando do direito de liberdade de pensamento e de expressão. Embora respeitando as pessoas homossexuais e procurando acolhê-las e tratá-las com respeito, compreensão e caridade, ela afirma que as práticas homossexuais vão contra a natureza; essa não errou ao moldar o ser humano como homem e mulher. Afirma ainda que a sexualidade não depende de “opção”, mas é um fato de natureza e dom de Deus, com um significado próprio, que precisa ser reconhecido, acolhido e vivido coerentemente pelo homem e pela mulher.
       
        Causa preocupação a crescente ambiguidade e confusão em relação à identidade sexual, que vai tomando conta da cultura. Antes de ser um problema moral, é um problema antropológico, que merece uma séria reflexão, em vez de um tratamento superficial e debochado, sob a pressão de organizações interessadas em impor a todos um determinado pensamento sobre a identidade do ser humano. Mais do que nunca, hoje todos concordam que o desrespeito às leis da natureza biológica dos seres introduz neles a desordem e o descontrole nos ecossistemas; produz doenças e desastres ambientais e compromete o futuro e a sustentabilidade da vida. Ora, não seria o caso de fazer semelhante raciocínio, quando se trata das leis inerentes à natureza e à identidade do ser humano? Ignorar e desrespeitar o significado profundo da condição humana não terá consequências? Será sustentável para o futuro da civilização e da humanidade?
        
         As ofensas dirigidas não só à Igreja Católica, mas a tantos outros grupos cristãos e tradições religiosas não são construtivas e não fazem bem aos próprios homossexuais, criando condições para aumentar o fosso da incompreensão e do preconceito contra eles. E não é isso que a Igreja Católica deseja para eles, pois também os ama e tem uma boa nova para eles; e são filhos muito amados pelo Pai do céu, que os chama a viver com dignidade e em paz consigo mesmos e com os outros.


***
Publicado em O SÃO PAULO, ed. de 28.06.2011
Card. Odilo P. Scherer
Arcebispo de São Paulo


Dia de São Pedro e São Paulo - Nossa paróquia está em festa!


Boa tarde pessoal!

      Hoje nossa paróquia está em festa, há quase 30 anos ela foi dedicada aos santos Pedro e Paulo, que tornaram-se seus padroeiros. A exemplo do imenso testemunho dado por estes dois cristãos, nossa comunidade tenta seguir com amor e dedicação os ensinamentos de Cristo Jesus. Nos último 2 anos, o Padre de nossa paróquia, Pe Willames, com o apoio das pastorais e da comunidade, organiza a grande Festa dos Padroeiros, com direito a comidas tipícas variadas, shows religiosos, shows de forró e sertanejos com bandas populares aqui do Distrito Federal! É muito bommmm!


      Gostaria de pedir a todos que visitarem este post, que rezem uma Ave Maria por nossa comunidade, para que Maria nossa mãe continue intecedendo por nós, para que continuemos sempre firmes na fé e perseverantes!

SÃO PEDRO E SÃO PAULO! ROGAI POR NÓS!



História de São Pedro e São Paulo

       Hoje a Igreja do mundo inteiro celebra a santidade de vida de São Pedro e São Paulo apóstolos. Estes santos são considerados "os cabeças dos apóstolos" por terem sido os principais líderes da Igreja Cristã Primitiva, tanto por sua fé e pregação, como pelo ardor e zelo missionários.

       Pedro, que tinha como primeiro nome Simão, era natural de Betsaida, irmão do Apóstolo André. Pescador, foi chamado pelo próprio Jesus e, deixando tudo, seguiu ao Mestre, estando presente nos momentos mais importantes da vida do Senhor, que lhe deu o nome de Pedro. Em princípio, fraco na fé, chegou a negar Jesus durante o processo que culminaria em Sua morte por crucifixão. O próprio Senhor o confirmou na fé após Sua ressurreição (da qual o apóstolo foi testemunha), tornando-o intrépido pregador do Evangelho através da descida do Espírito Santo de Deus, no Dia de Pentecostes, o que o tornou líder da primeira comunidade. Pregou no Dia de Pentecostes e selou seu apostolado com o próprio sangue, pois foi martirizado em uma das perseguições aos cristãos, sendo crucificado de cabeça para baixo a seu próprio pedido, por não se julgar digno de morrer como seu Senhor, Jesus Cristo.

       Escreveu duas Epístolas e, provavelmente, foi a fonte de informações para que São Marcos escrevesse seu Evangelho.

       Paulo, cujo nome antes da conversão era Saulo ou Saul, era natural de Tarso. Recebeu educação esmerada "aos pés de Gamaliel", um dos grandes mestres da Lei na época. Tornou-se fariseu zeloso, a ponto de perseguir e aprisionar os cristãos, sendo responsável pela morte de muitos deles.

      Converteu-se à fé cristã no caminho de Damasco, quando o próprio Senhor Ressuscitado lhe apareceu e o chamou para o apostolado. Recebeu o batismo do Espírito Santo e preparou-se para o ministério. Tornou-se um grande missionário e doutrinador, fundando muitas comunidades. De perseguidor passou a perseguido, sofreu muito pela fé e foi coroado com o martírio, sofrendo morte por decapitação.

      Escreveu treze Epístolas e ficou conhecido como o "Apóstolo dos gentios".

São Pedro e São Paulo, rogai por nós!

Fonte: Site da Canção Nova - Santos do dia


terça-feira, 28 de junho de 2011

Mais um presente!


Olá Pessoal!

    Depois de um feriado esticado, estou de volta para postar esse presentinho lindo que recebi! Passei esses últimos dias em Formoso, uma cidadezinha no norte do Goiás... Lá está bem quentinho e gostoso, ao contrário do tempo aqui em Brasília que está um gelooooo!

   Fizemos uma bela festa junina entre família e amigos, com direito a canjica, paçoca, pé de moleque, vaca atolada. Tudo decorado com bandeirolas e a alegria da noite: a fogueira! Já já posto as fotinhas!

   Gostaria de agradecer à Lurdes do blog Catequista Decca, pelo enorme carinho, atenção e amizade!!! Obrigada por este selinho tão lindo, um presente especial!
   
    Aproveitem para fazerem uma visitinha ao blog dela: http://catequistadecca.blogspot.com/


      Um forte abraço,
      Layse




quarta-feira, 22 de junho de 2011

É hora da revisão! - Turmas 2011-2012

Boa Tarde Catequistas!

     Estou postando a tarefinhas de revisão das turmas que iniciaram a etapa de Eucaristia esse ano... A revisão compreende os seguintes temas: Noé, Abraão, Jacó, José do Egito, Moisés e a Aliança...

Um forte abraço,
Layse




terça-feira, 21 de junho de 2011

Jogo da Memória das 10 pragas do Egito

Boa Noite Catequistas,

     Umas das formas mais eficazes para ensinár-mos aos nossos catequizandos é através de jogos. Elaborei este jogo da memória das 10 pragas do Egito como recurso para o encontro de revisão do semestre.
      Espero que gostem! É só imprimi duas folhas, pintar e se divertir!

Um abração,
Layse





quinta-feira, 16 de junho de 2011

Corpus Christi - TEXTO e ATIVIDADE

Olá Catequistas,

     Estou postando o texto e a atividade que utilizaremos no encontro sobre Corpus Christi. Vale lembrar que a cruzadinha da atividade foi feita com base no texto de apoio.

Um abração e que o Espírito de Deus esteja sempre com vcs!

Layse





Outro presentinho especial!

Boa Tarde pessoal!

    Hoje, ganhei um presentinho super especial, um selinho da querida amiga Lurdes do blog Catequista Decca. Obrigada Lurdes e que Jesus continue sempre abençoando vc e que a mãezinha Maria interceda sempre por vc e sua família!
    Aproveito para pedir que vocês façam uma visitinha por lá: http://catequistadecca.blogspot.com/

Beijos!

Layse

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Aliança - O pacto da Amizade - TEXTO e ATIVIDADE

Olá Catequistas,

     Seguem para vocês o texto motivacional e a atividade do encontro sobre a Aliança, o pacto da amizade. A tarefinha só é bem compreendida se for utilizada junto ao texto!

Um forte abraço,
Layse




terça-feira, 14 de junho de 2011

Aliança - O pacto da Amizade - Planejamento do Encontro,18/06

Oração Inicial: Sinal-da-cruz (lembrá-los que no domingo será o dia da Santíssima Trindade) + orações livres ou decoradas.

Motivação (ver):

- Ajudar aos catequizandos a se lembrarem do encontro anterior.
- Contá-los que depois que Moisés partiu com o povo hebreu, aconteceu algo muito importante na história da salvação da humanidade: a celebração de uma ALIANÇA.

- Mostrar aos catequizandos uma "aliança" de casamento.

- Uma dica para explicar o que é uma Aliança, é contar essa historinha abaixo:

   Um dia Fafá estava na cozinha e observou sua mãe que estava cozinhando, de repente, pegou a mão da mãe e disse:

Fafá: - Mãe, o que é isto?
Mãe: - Isto é uma aliança.
Fafá: - Uma aliança?
Mãe: - Claro! Cada vez que olho para ela penso no seu pai que está trabalhando longe daqui, para que a
            gente tenha o que comer...
Fafá: - Foi o papai que te deu esta aliança?
Mãe: - Sim... e eu também dei uma aliança para ele. É para a gente se lembrar um do outro.
Fafá: - E quando foi que você deu esta aliança para o meu pai?
Mãe: - Foi no dia do nosso casamento. Eu disse para ele: "João, recebe esta aliança como sinal do meu
           amor e de minha fidelidade". E ele me disse: "Maria, recebe esta aliança como sinal do meu amor e
           de minha fidelidade".
Fafá: - Mãe, você nunca quis tirar esta aliança do dedo?
Mãe: - Claro que sim. Às vezes, fico com raiva porque seu pai foi trabalhar tão longe... mas depois penso
            que ele fez isso por amor da gente. Então, esta aliança me ajuda... e é como se ele estivesse aqui,
            bem perto da gente.
Fafá: - Você vai ficar sempre com esta aliança?
Mãe: - Claro que sim. Mas tem pessoas que esquecem o dia do seu casamento, esquecem desta promessa
          de amor e fidelidade, e um dia deixam o esposo ou a esposa e os seus próprios filhos, para ir atrás
          de outras pessoas... Parece até que elas copiam as novelas da televisão.
Fafá: - Mãe, você nã vai deixar a gente não, né?
Mãe: - Claro que não! Mais que idéia...

Colocação do tema (julgar):

* Explicar para os catequizandos:

- Assim como duas pessoas que se casam, se comprometem a unir as suas vias e caminhar juntas (o uso da aliança é um deste compromisso). Deus também fez uma aliana com seu povo para caminhar com ele.

- Vamos ver como aconteceu esta Aliança:

   No terceiro mês depois de sua saída do Egito, o Povo (os filhos de Abraão) chegou a um monte chamado Sinai. Mosés subiu sozinho à montanha e lá Deus falou para ele:

   "Vocês viram a minha força que livrou vocês da escravidão do Egito. Pois bem: se vocês obedecem àquilo que eu falo e são fiéis à minha Aliança, vocês serão para mim o povo mais querido entre todos os povos e eu vos tornarei um Povo Santo" (Êx 19,8).
   
   Quando Moisés voltou e repetiu para o povo as palavras do Senhor, todo o povo respondeu: "Faremos tudo o que Deus disser" (Êx 19,8)
   Moisés disse a Deus que o povo aceitava. Deus fez a ALIANÇA com o povo e deu a ele um Lei (Êx 19, 1-8).

Dicas para conversar com os catequizandos:

- Deus quer fazer uma Aliança com o seu povo, isto é, deseja reunir o povo para caminhar com Ele, para que nunca mais, o povo seja escravo de ninguém.
- Deus se compromete a ajudar o seu povo: "Eu serei o teu Deus e tu serás o meu Povo" (Êx 6,7).
- O homem, por sua vez, aceita a amizade de Deus e promete aderir à sua vontade.
- Na Bíblia encontramos o que aconteceu com a Aliança. Ela nos mostra duas coisas:

    > Deus nunca falha. Sempre ama a gente apesar de esquecermos da Aliança.
    > O homem falha, desobedece, quebra a Aliança.

Por isso:

> Se afasta de Deus, se faz escravo e escraviza outros homens.
> provoca divisões: ricos, pobres, brancos, negros, jovens e velhos...
> mata ou maltrata os irmãos.
> mata crianças inocentes... (conversar com eles mais exemplos de hoje em dia)

Agir Transformador (ação):

- Procurar não perder a amizade de Deus ( o catequista deverá explicar como isto se realiza)
- Observar as coisas no bairro, na escola e em outros lugares: ver o que faz perder a amizade de Deus  

Atividades: folha de tarefinhas e texto motivacional.

Celebração:

- Dividir a turma em dois grupos. Confeccionar dois cartazes, um com as alianças unidas e outro com as alianças separadas. Pedir para os catequizandos escreverem no cartaz das alianças unidas, as coisas que nos fazem manter a aliança com Deus. Já no cartaz com as alianças separadas coisas que nos fazem "quebrar" a aliança com Deus.

- Fiz um rascunho de como é a montagem do cartaz. Usem a criatividade que o Espírito Santo dá para vocês e façam um cartaz bem bonito...hehehehe




Oração Final: Livre


segunda-feira, 13 de junho de 2011

Santo Antônio, rogai por nós!



Hoje dia 13 de junho, o dia de Santo Antônio. Um homem santo de fé fervorosa, amante do Evangelho e dos Sacramentos. E um pregador único! A devoção por este santo é muito grande no nosso Brasil!


Viva Santo Antônio!


sexta-feira, 10 de junho de 2011

Moisés - TEXTO e ATIVIDADE

Boa Tarde Catequistas!

    Seguem o texto motivacional e uma atividade simples para o encontro sobre Moisés.

Um forte abraço,
Layse





quinta-feira, 9 de junho de 2011

Moisés - Planejamento do Encontro - 11/06

Oração Inicial: Preces espontâneas.

Motivação (ver):

- Lembrar os catequizandos do encontro anterior. Explicar o filme do encontro anterior e perguntá-los sobre o que entenderam da história de José.
- Depois, perguntar aos catequizandos sobre o que eles fazem diante de uma injustiça que acontece na rua, na escola, no trabalho ou em outros lugares. E se eles já procuraram defender alguém mais fraco do que eles.

Colocação do Tema (julgar)

Leitura Bíblica: Êx 2,1-10; 3,1-8; 12,1-14.

- José e seus irmãos formaram um povo que ficou escravo do Faraó. Como aumentava cada dia mais o número de hebreus. o Faraó mandou que matassem todos os filhos que nascessem desse povo. É aqui que começa a história do personagem de Moisés.

- O Rei Faraó, de quem nos fala o Livro do Êxodo, começa a reinar muito tempo depois da época em que José levara para o Egito seu pai e seus irmãos. Quanto tempo se passou? A Bíblia fala em 400 anos...

- Nessa época o Egito era uma civilização muito rica. A vida rural era muito próspera: em algumas regiões chegavam a ser feitas quatro colheitas por ano, porque as águas eram represadas tecnicamente. A cultura era muito adiantada.

- "Mas os filhos de Israel, feculdos como eram, multiplicaram-se, tornaram-se numerosos e extremamente poderosos" (Êx 17)

- Havia uma grande preocupação com os ricos: o aumento da população pobre. A multiplicação dos hebreus na terra egípcia começa a inquietar os dirigentes do país. (Êx 1,9-10). O governo da ordens para o controle da natalidade dessa população estrangeira. A Bíblia fala, particularmente, de duas decisões dos governantes:

1- Trabalhos forçados para os hebreus.
2- Mais radical: o decreto para matar todos os filhos dos hebreus do sexo masculino (Êx 1,5-22)

- Assim Moisés nasce no Egito neste período de repressão e escravidão dos hebreus. Ele é um menino da Tribo de Levi. Seu nascimento é o nascimento de um povo, o povo de Israel. Durante algum tempo a mãe o esconde e, para evitar que ele morra, coloca-o numa cesta e o abandona no rio Nilo (Êx 2,10). Mas salvo das águas pela princesa egipcia, Moisés é educado em ambiente principesco e "iniciado em toda sabedoria dos egípcios" (At 7,22).

 A partir dessa introdução, abaixo seguem algumas pistas para falar do tema aos catequizandos:

1 - Falar da vocação de Moisés, que era a de libertar o seu povo
2 - Falar das dificuldades na missão de libertação do povo.
3 - As 10 pragas do Egito
4 - A Páscoa: que simboliza a libertação desse povo.
5 - A saída do Egito

Ação (Agir Transformador):

 Conversar com os catequizandos os seguintes tópicos:

- Os descendentes de Abraão estavam sofrendo muito por causa do Faraó.
- Perguntar aos catequizandos se hoje acontecem coisas parecidas no seu bairro, na escola, na sua rua, no Brasil, no mundo...
- Moisés foi adotado pela filha do rei. Poderia ter tido uma vida tranquila e feliz, tendo à sua disposição muitas riquezas, mas Moisés olhou o sofrimento do seu povo.
- Moisés quis defender o seu povo, por isso zombaram dele e ele foi perseguido.
- Deus gosta daqueles que não fecham os olhos e o coração diante do sofrimento dos irmãos, por isso escolheu Moisés para uma grande missão: ser líder do povo de Deus.
- O que é ser escravo hoje?
- Como reviver hoje a experiência de Moisés?

Atividades: Texto motivacional e atividade

Celebração

Começar com um canto sobre libertação  e fazer depois, um momento de silêncio para o catequizando falar com Deus sobre os sofrimentos do povo, hoje.

Colocar numa oração espontânea, as preocupações da nossa família e comunidade.


Bibliografia: Livro do Catequista: fé,vida e comunidade. Centro Catequético Arquidiocesano: coordenação Ir. Mary Donzellini). São Paulo: Paulus, 1994.

Juego de la Memoria del Rosario - Versión en lengua española

¡Hola amigos hablantes de la lengua española!

       Hace unas semanas que Xhonane del blog Familia Católica me ha escrito, pidiendo una traducción del juego de la memoria que yo hice con los misterio del Rosario. Con alegría yo traduje y Xhonane me ha ayudado con la corrección, porque mi español no es bueno. ¡Gracias Xhonane!
     
      Diga-me se te ha gustado este post.
      
      ¡Dios te bendiga!
        Layse









     

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Pentecostes - TEXTO e ATIVIDADE

Olá Catequistas!

      Estou postando para vocês o texto e a atividade do encontro do próximo sábado sobre Pentecostes!

Um grande abraço,
Layse








Pentecostes - Planejamento do Encontro 11/06 - Turmas 2010/2011

Oração Inicial: Oração do Espírito Santo.

Motivação (ver):

- Levar uma plantinha que tenha tronco e galhos e perguntar aos catequizandos se os galhos conseguem sobreviver sem o tronco.
- Mostrá-los que nós somos como esses galhos, precisamos sempre do alimento que nos é fornecido pelo nosso "tronco" que é Jesus Cristo. A seiva da planta, que é a energia que a faz viver, se reproduzir e dar frutos, para nós é o Espiríto Santo. O Espírito Santo é que nos enche de vida, coragem, alegria para vivermos como cristãos.

Colocação do Tema (julgar):

Leitura Bíblica: At 2,1-4

- Contar aos catequizandos a história de Pentecostes através da leitura bíblica.
- Falar que o Espírito Santo se manifestou na história cristã através de vários símbolos: vento, nuvem e luz, óleo, pomba, fogo, pomba, mão e água.
- O Espírito Santo é Deus, é uma pessoa da Trindade. Que é um mistério profundo e muito bonito.
- O Espírito surge como vento sobre os Apóstolos reunidos no Cenáculo simbolizando que é Ele quem "sopra" em nós as boas idéias, nos recorda os ensinamentos de Jesus.
- É preciso também mostrar aos catequizandos que para entendermos os ensinamentos de Cristo, precisamos do auxílio do Espírito Santo.
- Falar dos dons do Espírito Santo: fortaleza, ciência, piedade, entendimento (inteligência), temos de Deus e sabedoria.
- Ler com os catequizando Gl 5,22-23 e ensiná-los os 12 frutos do Espírito Santo: caridade, alegria, paz, paciência, longanimidade, bondade, benignidade, mansidão, fidelidade, modéstia, continência, castidade.
- Falar também da presença do Espírito Santo no Batismo.

Atividade: Atividade da folhinha de exercícios.

Agir transformador (ação): Fazer os catequizandos perceberem a importância do Espírito Santo na vida deles. Para isso separei três ótimas dinâmicas que encontrei no blog Jardim da Fé, da nossa querida amiga Cris.

Dinâmica Cheios do Espírito Santo


Participantes: indefinido.
Tempo Estimado: 15 minutos.
Material: bexigas para todos os participantes.

Palavra de Deus: 1 Cor 3,16 "Não sabeis que sois templo do Espírito e que o Espírito de Deus habita em vós?"

Preparação: Antes de entregar as bexigas aos participantes e com as bexigas ainda vazias pegue uma agulha faça um pequeno furo em algumas bexigas sem que ninguém veja, pode até fazer dois ou três furos em algumas bexigas. Desde modo quando eles forem encher acontecerá o seguinte:

- As bexigas sem furo, irão encher normalmente.

- As bexigas com um furo apenas irão encher, mas irão esvaziar-se.

- As bexigas com mais de um furo, podem ate não encher porque a pessoa não terá força para encher, ou então enche, mas se esvazia muito mais rápido que as outras.

Desenvolvimento: Entregar as bexigas e pedir que cada um encha as bexigas e esperar a todos os outros terminarem de encher. Quando todos encherem pedir para que eles soltem as bexigas, desde modo as bexigas irão realizar uma trajetória, podendo ir longe, ou então ir alto e depois cair perto de quem a lançou isso não importa.

Conclusão: Aqueles que estão cheios do Espírito Santo, vão mais longe, evangelizam os outros. Os que estão vazios não espalham a palavra de Deus, porque quando ouvem a Palavra rapidamente se esvaziam e porque se esvaziam? Porque suas vidas estão cheias de "buracos" que impedem que Deus entre em sua vida e ali permaneça, o prazer imediato oferecido pelo mundo, o pecado etc.
Não podemos ser como as bexigas furadas, precisamos fechar esses buracos para que possamos deixar Deus habitar em nós.

Dinâmica - Sentindo o Espírito Santo
Objetivo: Mostra que não adianta falarmos do Espírito Santo se não provarmos e sentirmos Ele em nossas vidas.
Participantes: indefinido.

Tempo Estimado:
15 minutos.

Material:
Uvas ou balas .

Descrição:
O coordenador deve falar um pouco do Espírito Santo para o grupo. Depois o coordenador da dinâmica deve mostrar o cacho de uva e perguntar a cada um como ele acha que esta o sabor destas uvas.
Obviamente alguns irão descordar a respeito do sabor destas uvas, como: acho que esta doce, que esta azeda, que esta suculenta etc.
Após todos terem respondido o coordenador entrega uma uva para cada um comer. Então o coordenador deve repetir a pergunta (como esta o sabor desta uva?).

Mensagem: Só saberemos o sabor do Espírito Santo se provarmos e deixarmos agir em nós.

Dinâmica - Os sete dons do Espírito Santo
- Recortar um pequeno coração.
- Cada participante escreverá nos dois lados do coração uma qualidade ou dom que possui.
- Responder individualmente:
-De onde provêm estes dons?
-Para que servem estes dons em minha vida?
-Eu os coloco a serviço de quem?
-Como os faço frutificar?
- Partilhar com alguém as perguntas.
- Colar os corações num papelógrafo e perceber a riqueza que somos no conjunto dos dons recebidos.
- Os dons, só para si, pouco significam.
- Mas quando partilhados, significam riqueza multiplicada.
Oração Final: Oração do Espírito Santo.
Dica!
As catequistas da nossa etapa tiveram a idéia de gravar um CD com músicas que falassem sobre os Espírito Santo. Esse CD terá o papel de fundo musical para o nosso encontro. Quando eu tiver a lista das músicas, colocarei no blog, ok?
Mas tem uma música que não pode ficar de fora: "Quando o Espírito de Deus se move em mim eu "____" como o rei Davi...