segunda-feira, 9 de maio de 2011

A arte de conduzir orações - Métodos e formas de oração I

      Métodos e formas são os diversos jeitos de rezar. É importante variar os momentos de oração para enriquecê-los e evitar a rotina. Na catequese há inúmeroas formas possíveis. Neste post, veremos alguns desses métodos, assim como dicas de como trabalhar com eles para tornar o momento de oração mais rico e criativo.

Orações decoradas

     São aquelas orações tradicionais que a gente deve saber de cor. Todo católico deve saber rezar o Pai-Nosso, a Ave- Maria e muitas outras orações. Essas orações são importantes porque vêm de longa tradição na Igreja, são rezadas em comum nas celebrações, possuem um conteúdo rico e profundo. Entretanto, não deemos nos limitar a essas formas de oração. O grande perigo,  na catequese, é só rezar Pai-Nosso, Ave-Maria e Vinde Espírito Santo e não desenvolver outras formas mais expressivas de conversar com Deus. Outro grande perigo é essas orações se tornarem preces mecânicas, repetidas com a memória, não com o coração, como se fossem palavras soltas e sem sentido. Por causa disso, 3 coisas são importantes quando o catequista lida com orações decoradas:

a) Alternar orações decoradas e espontâneas, variando a forma de rezar;
b) Ajudar a turma a compreender e ter sempre em mente o sentido dessas orações;
c) Lembrar que a linguagem dessas orações nem sempre é acessível à turma, o que faz supor a necessidade de estudar a oração para depois rezá-la.




 Orações repetidas

    São orações espontâneas ou escritas que o catequista reza, frase por frase, para que a turma vá repetindo em conjunto. é uma forma válida, porque leva a pessoa a dizer e interiorizar coisas importantes dentro do tema do encontro, além de ser uma forma intermediárias entre a oração decorada e a totalmente espontânea. A oração repetida deveria ser usada mais com grupos que ainda têm certa dificuldade de rezar de modo espontâneo. Podem ser adultos, jovens ou crianças. Esse tipo de oração tem certo caráter pedagógico: enquanto vai repetindo a prece formulada pelo catequista, a pessoa aprende a formular a sua própria prece. Até em missas ou celebrações om grande número de pessoas se costuma usar esse método. Vale lembrar, no entanto, algumas observações a respeito:

a) A oração deve ser feita na linguagem da turma.
b) Quem dirige a oração deverá rezar pausadamente, falando as preces com clareza;
c) Deve-se esperar que a turma repita a frase anterior para falar nova frase; do contrário, a turma não entenderia o começo da frase seguinte;
d) As frases devem ser curtas, senão a turma já as terá esquecido na hora de responder;
e) as frases devem ter sentido completo, tanto quanto possível. Se o dirigente parte de uma frase grande em vários pedaços, ao final ela poderá ter perdido o sentido;
f) Antes de começar a rezar, é preciso concentrar a turma para que a repetição não seja algo mecânico. Nesse sentido, o gesto ajuda muito,     como veremos depois.

 

*O primeiro tema da semana de formação do Catequese Kids, é sobre a arte de se conduzir orações. Ele foi retirado do livro "Elementos de Didática na Catequese" da autora Solange Maria do Carmo, editora Paulus. Para quem quiser adquirir: http://www.paulus.com.br/elementos-de-didatica-na-catequese_p_1853.html

2 comentários:

O material aqui postado é elaborado por mim com material retirado da Internet ou enviado por e-mail . Caso você seja proprietário de alguma imagem, texto ou material e quer retirá-lo ou divulgar seu nome, por favor, entre em contato por e-mail . Terei o maior prazer em divulgar o seu material ou trabalho! e-mail: lay.mbispo@gmail.com Que o amor de Jesus Cristo esteja sempre com vocês!